Arquiteta Imóveis

Arquiteta Imóveis

Informações sobre construção para uma compra segura de imóveis

Informações sobre construção para uma compra segura de imóveis

Imóvel na planta

02/04/2016

cropped-Logo.pngAdquirir um imóvel sempre tem riscos. Nesses artigos do site procuro abordar os diversos aspectos e cuidados dessa empreitada. No artigo de hoje resolvi transcrever na íntegra o relato da Sra Mirella relativo ao processo de compra de um imóvel na planta diretamente com a Construtora por se tratar de uma experiência real e recorrente. Basta uma simples procura na internet para encontrarmos vários relatos parecidos. O espaço está aberto para as considerações da Construtora mencionada.

Relato de Sra. Mirella Guida transcrito integralmente do facebook com a sua autorização.

Fujam da construtora Cyrela!!! Se arrependimento matasse, eu estaria morta agora.
Em 2012 compramos um apartamento no empreendimento “Summer Bandeirantes”. O valor total do apartamento seria cerca de 324 mil reais e paguei R$ 9.407,11 de comissão ao corretor.
Ao nos aproximarmos na data de entrega das chaves, me foi oferecido um upgrade para um apartamento maior. Assim, no final de julho de 2015, foi feita a transferência de todo o crédito investido no Summer para o empreendimento Ocean. Essa transferência dentro da própria Cyrela me custou uma multa/desconto de R$ 6.227,74. Só me avisaram desse detalhe na hora que eu estava assinando o contrato.
Demos uma boa entrada no “Ocean” e continuamos pagando religiosamente todos os boletos mensais enviados pela construtora.
Fui orientada a ignorar qualquer eventual cobrança relativa ao empreendimento antigo “Summer Bandeirantes” que pudesse chegar. A assinatura do contrato do novo empreendimento foi em julho e em setembro começou o meu tormento. Comecei a receber inúmeras notificações por SMS e emails dizendo: “não identificamos seu pagamento”, “regularize seu débito e evite medidas judiciais”, até culminar em “exclua sua restrição cadastral SERASA”.
Desde a primeira notificação, contatei a Cyrela para esclarecer o que estava acontecendo. Tenho várias mensagens trocadas com o corretor Critovão Filho onde ele dizia para eu ficar tranquila, que já tinha confirmado com o gerente financeiro Renato Rodrigues e não havia nenhuma pendência; que tudo não passava de um erro no sistema e meu nome não seria colocado no Serasa. Por segurança, liguei para a central de atendimento e, ao verificarem no sistema, me informaram que não havia nenhuma pendência em aberto. Abri também diversas ocorrências no portal do cliente para deixar minhas mensagens devidamente registradas.
Cheguei a ir duas vezes no escritório da Cyrela na Barra da Tijuca quando as notificações começaram a chegar pelos correios nos meses seguintes. Nas duas vezes me garantiram que eu deveria ficar despreocupada, que meu nome não seria colocado no Serasa. Na segunda vez, fui bem clara: eu já estava sendo bastante compreensiva em desconsiderar tantas notificações infundadas e que, se a ameaça de colocar meu nome no Serasa fosse cumprida, eu iria solicitar o distrato do contrato com devolução total dos valores que havia pago. Registrei isso por email colocando todos que conheci na Cyrela em cópia e abri a enésima ocorrência no portal do cliente. A cada ocorrência que eu abria, recebia uma resposta por email dizendo “ocorrência finalizada”, sem nenhuma outra explicação. Fiquei totalmente perdida sobre o que estava acontecendo.
No mesmo dia da minha segunda visita (4/11), recebi um SMS me convidando a não mais aparecer no escritório da Cyrela sem um prévio agendamento telefônico.
Dois dias depois, recebi um email dizendo ” Pedimos para desconsiderar os e-mails anteriores, pois como consta em sua posição financeira, não há débito em aberto em seu fluxo de pagamentos e por isso, estamos lhe enviando a sua posição financeira e nada consta do Serasa para que possa comprovar a veracidade deste e-mail”.
Achando que ali o problema tinha sido resolvido, qual não foi minha surpresa quando na semana seguinte, dia (11/11), recebi um comunicado do Serasa afirmando que a Cyrela abriu um cadastro em meu nome. Nervosa, liguei para o corretor, mandei email para todos avisando ter recebido o tal comunicado. A resposta da Cyrela não tenho registrada pois foi uma ligação de uma moça da área de relacionamento com o cliente me pedindo desculpas pelo erro, que meu nome já tinha sido retirado do Serasa, que eu não deveria me preocupar com mais nada.
A esse ponto, eu já tinha perdido a confiança. Decidi ir em frente com o distrato. Em dezembro, me encontrei com a funcionária Bárbara Figueirdo do setor jurídico e com o funcionário Thiago do setor financeiro. Ambos me pediram desculpas e me perguntaram se eu teria interesse em receber um bom desconto na unidade. O que eu ouvi foi mais o menos o seguinte: ”como houve uma grande desvalorização do imóvel e hoje ele está sendo vendido por 100 mil reais a menos, diz aqui no sistema que podemos renegociar sua dívida para esse novo valor”. Eu falei pra eles que não me interessava um desconto que já estavam oferecendo a todos os novos compradores e também aos antigos que queriam renegociar a dívida (‪#‎ficaadica‬). Não recuperei a confiança na empresa pois se comportavam como se não admitissem as falhas. O que aconteceu em seguida só reforçou essa impressão.
Pedi para darem continuidade à devolução integral dos valores que paguei. Eu não queria briga, não queria stress, não queria danos morais; só queria meu dinheiro de volta. Me disseram pessoalmente e também ao telefone que costumavam devolver 70% mas que, no meu caso, poderiam chegar a 75% (que proposta generosa!). Não respondi, só pedi para colocarem isso por escrito e não me responderam mais. Enviei vários e-mails pedindo uma posição e não recebi nenhuma resposta. A situação estava tão absurda que precisei arrumar uma advogada.
Enquanto isso, os boletos mensais iam chegando e eu pagando pra não ficar inadimplente… E o pior: sem saber se esses valores seriam devolvidos integralmente!
No dia 19 de fevereiro, finalmente recebi uma ligação do Thiago me prometendo uma posição até o dia 23 de fevereiro. Ele me informou que haveria uma reunião de diretoria no dia 22 de fevereiro onde meu caso seria discutido e que no dia seguinte eu seria contatada com uma posição do financeiro. Hoje é dia 9 de março e ainda não tinha recebido nenhuma resposta.
Exasperada e com um novo boleto vencendo, fui hoje com a advogada pessoalmente no escritório da Cyrela. Foi uma visita surpresa mas conseguimos ser atendidas. O Thiago nos recebeu e, muito constrangido, disse que a diretoria havia autorizado o pagamento de somente 50% do meu saldo atual em 12 parcelas, sem considerar a devolução da comissão e da multa que fui obrigada a pagar no upgrade de empreendimento. Sim, isso mesmo; dos R$ 106.133,45 que paguei até hoje, querem me devolver somente R$ 45.249,30. Os outros R$ 60.884,45 vão ficar no bolso deles porque eles acham que essa é a forma de lidar com uma cliente que foi tratada como inadimplente, que foi negligenciada por meses, que está profundamente insatisfeita e que perdeu a confiança na empresa. Cliente esta que queria fazer um acordo pra não ter que brigar na justiça. Cliente que ingenuamente pensou que uma empresa desse porte poderia admitir toda lambança que fez e se redimir devolvendo meu dinheiro e sem sujar sua imagem.
Por tudo isso, depois de 6 meses tentando resolver essa situação da maneira mais amigável possível, hoje eu desisti. Deixo essa situação nas mãos da minha advogada para que ela me ajude a ter meu dinheiro de volta; dinheiro que investi por 3 anos, dinheiro pelo qual trabalhei muito pra juntar e que hoje a Cyrela quer tomar para si. Deixo aqui o meu forte NÃO RECOMENDO para essa empresa que trata de forma vergonhosa os seus clientes no pós-venda. Além de ter sérios problemas de organização interna e no sistema tecnólogico, a Cyrela não tem o menor respeito por seus clientes.
Pra completar a série de gafes, venho recebendo também uma série de boletos e documentos referentes ao condomínio do empreendimento antigo que ficou pronto recentemente e onde nunca morei. Já pedi para tirarem meu nome da lista de moradores pois não sou proprietária de nenhum apartamento ali e até agora nada foi feito. Corro o risco do meu nome ficar sujo novamente porque estou, sob orientação da própria Cyrela, desconsiderando todas essas comunicações. Da outra vez que me disseram para desconsiderar, vejam o que aconteceu…
Estou enojada com a forma abusiva que estão me tratando depois de tanto descaso e todos os problemas que me causaram.
Quem puder compartilhar, agradeço.
https://www.facebook.com/mirellagui…/posts/10153451165237919
Categorias: Histórias Reais

Deixe seu comentário.

*

*

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *